...Vivendo o ruído de cada dia que em cada tarde findada, lhe lembrava o Toque de Silêncio das manhãs que anoiteceram.
Emoção de entardecer, com saudade de madrugada. (
Toque de Silêncio, página 313)

 

«...E, no entanto, não percebendo eu quase nada de música, isso não impede que por vezes, ao ouvir uma melodia, me deixe enrolar, levar e emocionar, se calhar, só porque tenho sentimentos que alguém teve o condão de despertar. Pois foi isso que me aconteceu ao ler o “Toque de Silêncio”, uma espécie de sinfonia com um tema central onde se inscrevem os sonhos, as angústias, as exaltações e alucinações de um “autor escritor” a perpassarem na tessitura de múltiplas variações, com momentos, muito frequentes, em que nos surpreendemos a dizer, sem ninguém ali por perto: «que bonito!», «que interessante!», «que forma tão linda de contar!...»
Diamantino Gertrudes da Silva
(Do Prefácio de Toque de Silêncio)

Actualização: 02-ôåâ-2010 . Comentários / sugestões: ajsbranco@mundos.info